Sem enzimas não vivemos

Postado por:

Assim afirma o Dr. Hiromi Shinya, especialista em saúde do intestino.

Essa matéria especial sobre enzimas foi elaborada com base na palestra proferida pelo Dr. Hiromi Shinya, nos dias 21 e 22 de abril de 2007 em São Paulo e em Porto Alegre, respectivamente.

É sabido que o nosso organismo é provido de milhares de tipos de enzimas e que cada uma delas atua de forma específica, resultado, de forma geral na manutenção da nossa saúde.

Sem enzimas o organismo não consegue absorver adequadamente os nutrientes dos alimentos que ingerimos o que prejudica todo o sistema digestivo; o resultado são os mais diversos distúrbios.

Sendo assim, o que podemos fazer para prover o organismo de enzimas e potencializar as suas ações? Conforme Dr. Hiromi Shinya:
– sentimento de alegria, felicidade e amor
– boa alimentação, suplementos
– água de boa qualidade
– sono reparador
– respiração adequada
– exercícios físicos regulares
– correta evacuação

De forma mais detalhada devemos:

– consumir verduras, legumes, frutas, cereais integrais, algas marinhas diariamente;
– evitar doces, refrigerantes, frituras, leite, derivados do leite, produtos de origem animal, alimentos que contêm ou que são preparados com muita gordura;
– tomar água de boa qualidade;
– consumir suplementos alimentares de qualidade comprovada que propiciam o bom funcionamento dos intestinos;
– fazer exercícios físicos regularmente;
– sono reparador;
– dedicar alguns minutos do dia para fazer um rela-xamento, respirando com calma e profundamente;
– manter a temperatura do corpo sempre estável (entre 36,5ºC a 37,5ºC);
– evitar cigarros e ambiente de fumantes;
– evitar bebidas alcoólicas;
– comer com calma em horários regulares;
– evitar incidência de raios ultravioletas e
– se usar aparelhos eletrônicos, que seja moderadamente.

Dr. Shinya fez ainda observações a respeito do leite e dos seus derivados, alertando para o fato de que eles fazem reduzir drasticamente, e numa velocidade muito grande, as enzimas do organismo. As conseqüências do consumo constante de laticínios são: diarréia, danos ao intestino e aparelho digestivo, alergias, asma, doença de Crohn, inflamações ulcerativas, osteoporose, artrite, senilidade, obesidade, lipemia, pressão alta, câncer, leucemia. Portanto, o consumo do leite deve ser moderado.

Em relação à água, Dr. Hiromi Shinya orientou que deve ser usada a mineral de boa qualidade, tanto para consumo direto quanto para a preparação de refeições. De acordo com sua orientação, deve ser consumido entre 350 e 500ml de água, uma hora antes das refeições e pouco menos de um copo durante a refeição.
A água faz aumentar a ação das enzimas, proporciona o equilíbrio térmico, beneficia a respiração, a circulação sangüínea, a digestão dos alimentos, a absorção dos nutrientes e a excreção. Depois da água, as bebidas mais adequadas para consumo são: chá de cevada, chá de ervas, suco de frutas e suco de vegetais.

Houve também uma pequena abordagem sobre as gorduras trans. O que são gorduras trans? São as gorduras obtidas por meio de compressão, alta pressão ou temperaturas elevadas. São gorduras prejudiciais ao organismo, portando devem-se evitar os alimentos que as contêm como é o caso de margarinas, maioneses, frituras, batatas-fritas, macarrão instantâneo, creme de leite, leites industrializados, biscoitos recheados, chocolates, entre outros. Para identificar se os alimentos industrializados contêm ou não gordura trans bastar conferir os rótulos.

Também Dr. Shinya fez um importante alerta em relação ao açúcar refinando, referindo-se a ele como um veneno. O consumo excessivo de açúcar provoca diversos prejuízos ao organismo: perda de cálcio, enfraquecimento dos ossos e dentes, cáries, diabetes, arteriosclerose, hipoglicemia, derrame, impaciência, depressão.

Dr. Hiromi Shinya

• Médico Cirurgião especializado em Endoscopia Digestiva, 35 anos de experiência.
• Professor Titular de Cirurgia da Faculdade de Medicina Albert Einstein/ EUA.
• Diretor do Centro de Endoscopia do Hospital Beth Israel/ EUA.
• Vice-Presidente da Associação Japonesa de Medicina/ EUA.
• Pioneiro na utilização da técnica de exame de colonoscopia e remoção de pólipos pelo método não cirúrgico.
• Realizou mais de 300.000 exames de estômago e intestino e em torno de 100.000 polipoctomias com a sua técnica.

Livro: “A Dieta do Futuro” –
que previne cardiopatias, cura o
câncer e controla do diabetes tipo 2
Dr. Hiromi Shinya

“Prólogo”

Quando a Segunda Guerra terminou, eu era adolescente e assisti à transformação que a tecnologia norte-americana promoveu em minha terra natal. Meu sonho era estudar medicina na América. Em 1963, conclui meu curso de medicina no Japão, mudei-me para os Estados Unidos com minha jovem esposa para iniciar meu curso de residência médica no Beth Israel Medical Center de Nova York.
Vindo de um país estrangeiro, ao chegar aos Estados Unidos compreendi que teria de trabalhar muito para ser um cirurgião respeitado naquele país. Quando criança eu estudara artes marciais e graças a esse treinamento aprendi a usar muito bem as duas mãos. A ambidestria me possibilitou realizar cirurgias com rara eficiência.
Durante o curso de residência fui assistente do dr. Leon Ginsburg, um dos descobridores (juntamente com o dr. Burrill Bernard Crohn e o dr. Gordon Oppenheimer) da doença de Crohn. Um dia o chefe dos residentes e o residente mais antigo que normalmente assistiam o dr. Ginsburg não puderam ajudar na sala de cirurgia, e a enfermeira do dr. Ginsburg, que já conhecia meu trabalho, recomendou-me. Sendo ambidestro, terminei a cirurgia rapidamente. Primeiro, o dr. Ginsburg ficou muito irritado porque não acreditou que eu pudesse ter terminado em tão pouco tempo e ter feito tudo certo. Mas, ao verificar que o paciente tinha se recuperado tão bem sem a hemorragia excessiva e sem o inchaço que costumam ocorrer depois de uma cirurgia longa, ele ficou impressionado. Comecei a trabalhar com ele regularmente.
Nem minha esposa, nem eu, nem nossa filhinha nos dávamos bem nos Estados Unidos. Minha esposa passava a maior parte do tempo doente. Fraca ela não conseguia amamentar, e nossa filha era alimentada com leite de vaca. Eu trabalhava o dia todo no hospital e quando chegava em casa ajudava minha esposa que estava novamente grávida. Eu trocava fraldas e dava mamadeiras à minha filha, mas ela chorava muito porque tinha uma urticária muito intensa. Ela coçava-se muito e estava num estado lastimável.

Aí, então, nasceu meu filho. Sua chegada foi uma alegria, mas logo surgiu uma hemorragia retal. Naquela época, eu tinha adquirido o primeiro colonoscópio e examinei meu filhinho. Encontrei uma inflamação no cólon e uma colite ulcerativa.
Fiquei arrasado. Ali estava eu, um médico que não conseguia curar sua jovem e bonita esposa, e nem aliviar o sofrimento de seus filhos. Eu não aprendera nada na faculdade de medicina que pudesse explicar a causa da doença deles. Consultei outros médicos, os melhores que eu conhecia, mas nenhum conseguia me ajudar. Ser um bom cirurgião ou dar remédios para os sintomas não era o suficiente. Eu queria saber o que causava a doença
No Japão, eu nunca tinha visto o tipo de dermatite atrófica que minha filha tinha, por isso, comecei a investigar o que havia nos Estados Unidos que pudesse causar esses sintomas. No Japão nós não tínhamos muitos derivados do leite, portanto pensei que pudesse ser o leite de vaca que ela mamava. Quando retiramos o leite, ela melhorou rapidamente e eu percebi que ela era alérgica a leite de vaca. Ela não conseguia digeri-lo, e as partículas não digeridas, que eram pequenas o suficiente para passar do intestino para o sangue, eram atacadas pelo seu sistema imunológico como se fossem invasores. A mesma coisa acontecia com meu filho. Quando paramos de alimentá-lo com leite, a colite desapareceu.

A doença de minha esposa logo foi diagnosticada como lúpus. Os valores de seu hemograma caíam, e ela ficava pálida e anêmica. Ela entrava e saia do hospital enquanto lutávamos para salvar-lhe a vida. Morreu antes que eu soubesse o suficiente para ajudá-la.
Até hoje, eu ainda não sei o que causou o seu lúpus, mas sei que ela era geneticamente predisposta a reações exageradas do sistema imunológico. Ela foi interna de uma escola-convento ocidentalizada no Japão consumia muito leite. Não há dúvidas de que era alérgica a leite, pois mais tarde seus dois filhos também eram. Exposta continuamente a um alimento que gerava uma reação alérgica, seu sistema imunológico deve ter se esgotado, deixando-a suscetível à doença autoimune do lúpus.
Com essas experiências, comecei a compreender o quanto a alimentação é importante para nossa saúde. Isso foi há mais de cinqüenta anos e depois disso registrei a história alimentar e examinei o estômago e o cólon de mais de 300 mil pacientes. Passei minha vida tentando compreender o organismo humano, a saúde e a doença. Comecei pela doença – suas causas e tratamentos –, mas, assim que comecei a compreender melhor o trabalho do corpo como um todo, mudei minha maneira de tratar as doenças.

Vi que nós, médicos, e nossos pacientes devemos empregar mais tempo na compreensão da saúde do que na luta com a doença.
Nascemos com o direito à saúde; é natural ser saudável. Depois de começar a compreender a saúde, fui capaz de trabalhar com o corpo, ajudando-o a livrar-se sozinho da doença. Apenas o corpo tem a capacidade de curar-se. Como médico, crio um meio para que a cura aconteça.
Assim, comecei tentando compreender a doença, mas minha pesquisa acabou me levando para o que eu acreditava ser a chave da saúde. Essa chave é a enzima milagrosa do nosso próprio organismo,

O organismo humano tem mais de 5 mil enzimas que geram, talvez, 25 mil reações diferentes. Pode-se dizer que toda ação do organismo é controlada por enzimas, porém sabemos muito pouco sobre elas. Acredito que criamos essas enzimas a partir de uma enzima-fonte, que é mais ou menos finita em nosso corpo. Se essas enzimas-fonte se esgotarem, não haverá um número suficiente delas para reparar as células de maneira adequada, o que com o tempo possibilitará o desenvolvimento de câncer e outras doenças degenerativas.
Em suma, esse é o fator enzimático.
Quando ajudo meus pacientes com câncer de cólon a se curar, primeiramente removo o câncer e depois os coloco em uma dieta rígida de alimentos não tóxicos e ricos em enzimas e água, para que eles tenham mais enzimas-fonte para reparar as células do organismo. Não acredito no uso de medicamentos fortes que desafiam o sistema imunológico, pois acho que o câncer de cólon não acontece por acidente, de maneira isolada. O câncer de cólon é um alerta de que todo o suprimento de enzima-fonte está se esgotando e não consegue mais as células adequadamente.
Ao mesmo tempo em que acredito que nascemos com um suprimento limitado dessa enzima-fonte e que não devemos gastá-lo com má alimentação, toxinas, eliminação deficiente e estress, compreendi outra coisa. Essa outra coisa é o motivo pelo qual chamo essa enzima-fonte de enzima “milagrosa”. Tenho testemunhado várias curas espontâneas e remissões de todos os tipos de doença. Ao estudar essas curas, comecei a compreender como esses milagres acontecem.
Descobrimos o DNA, mas não sabemos realmente muita coisa sobre ele. Há um enorme potencial latente em nosso DNA que ainda não compreendemos. Minha pesquisa indica que explosões emocionais positivas, como as que surgem do amor, da risada, e da alegria, podem estimular nosso DNAQ a produzir uma enxurrada de enzimas-fonte – a enzima milagrosa que age como  biocatalizador da recuperação das células. Alegria e amor podem acordar um potencial muito além do conhecimento humano atual.
Neste livro, direi a você o que fazer no dia a dia, o que comer e que suplementos e enzimas tomar para ajudar suas enzimas milagrosas e sua saúde. Entretanto, a coisa mais importante que posso lhe dizer para viver uma vida longa e saudável é fazer o que o deixa feliz (mesmo que isso signifique não seguir, às vezes, minhas outras recomendações).
Ouça música. Faça amor. Divirta-se. Curta os pequenos prazeres. Viva a vida com paixão. Lembre-se de que uma vida feliz e cheia de significados é o caminho natural para a saúde. O entusiasmo, e não a perfeita adesão ao regime alimentar, é a chave da eficácia do fator enzimático para você.

Dr. Hiromi Shinya
(fonte: págs. 9 a 11, do livro, “A Dieta do Futuro” – Dr. Hiromi Shinya, São Paulo, Editora Cultrix, 2010); Saudeequilbrio.blogspot.com.br
Fonte: Boletim Informativo Anew Naturalmente – 07/2007

A DIETA DO FUTURO

Sugestão de leitura: “A Dieta do Futuro” Dr. Hiromi  Shinya, São Paulo, cultrix, 2010.

Enzimas – a chave do código da vida

O renomado gastroenterologista Hiromi Shinya explica detalhadamente neste livro o estilo de vida que você precisa ter para melhorar a produção de enzimas de seu organismo e nunca precisar de cirurgias ou medicamentos para as chamadas doenças do envelhecimento. O estilo de vida saudável que ele indica consiste em recomendações que faz há dez anos aos seus pacientes, e muitas delas, embora pareçam contrariar os atuais conhecimentos sobre saúde e alimentação, trouxeram resultados extraordinários.

Veja algumas das afirmações surpreendentes do dr. Shinya:

·        Os antiácidos prejudicam o estômago.
·        Cirurgias e medicamentos não curam o câncer.
·        Os medicamentos deixam as pessoas mais doentes.
·        A febre pode fazer bem.

A teoria sobre as enzimas que o dr. Shinya chama de “milagrosas” é capaz de convencer até os mais céticos e revolucionar a medicina. Neste livro, ele mostra por que:

·        A especialização médica está piorando os serviços de saúde.
·        A hereditariedade não determina o câncer, as cardiopatias ou o diabetes tipo 2.
·        Os suplementos de cálcio e o leite e seus derivados, na verdade, podem causar osteoporose.
·        O corpo tem a capacidade de se curar.
·        A ignorância está nos tornando doentes.

O dr. Hiromi Shinya é médico, reconhecido mundialmente por ter desenvolvido o colonoscópio, aparelho que lhe permitiu realizar a primeira cirurgia não invasiva do cólon (“técnica de Shinya”). Com essa técnica é possível examinar e operar o cólon sem incisão abdominal.
O dr. Shinya é professor de cirurgia no Albert Einstein College of Medicine, chefe da unidade de endoscopia do Beth Israel Medical Center de Nova York e consultor do Maeda Hospital e da Clínica Gastrintestinal Hanzomon, no Japão.
Atualmente com mais de 70 anos de idade, ele continua exercendo sua profissão e passa metade do ano na cidade de Nova York e a outra metade em Tóquio. O dr. Shinya é o médico mais famoso do Japão e atende os membros da família real e das altas esferas do governo. Sua clientela nos Estados Unidos inclui celebridades e ex-presidentes. Ele é vice-presidente da Associação Médica Japonesa nos Estados Unidos e é muito requisitado para palestras no mundo todo.

Descubra como manter o equilíbrio necessário
para uma vida saudável – leia A DIETA DO FUTURO

A Dieta do futuro fornece a chave que revolucionará a maneira como vemos o corpo humano, a alimentação, a medicina e a saúde.
No momento em que aumenta a consciência sobre os prejuízos do excesso de medicamentos, o dr. Hiromi Shinya, membro altamente respeitado de instituições médicas de renome dos Estados Unidos e do Japão, revela a chave da impressionante capacidade de autocura do corpo. Essa chave é o Fator Enzimático.
Enzimas são pacotes microscópicos de energia que tornam possíveis todas as nossas funções vitais. Quando essas enzimas se esgotam, ficamos doentes e, quando seus estoques são repostos, voltamos a ter saúde.
O dr. Shinya mostra como preservar o suprimento de enzimas “milagrosas” e promover a cura. Ele explica porque nenhum de seus milhares de pacientes com câncer, teve recidiva. E mostra como é possível ajudar o organismo a curar doenças que há décadas intrigam os médicos:

·        Obesidade
·        Câncer
·        Cardiopatia
·        Miomas
·        Prisão de ventre
·        Síndrome do intestino irritável
·        Doença de Crohn
·        Apneia do sono
·        Doenças autoimunes

A Dieta do Futuro mostra como você pode preservar as enzimas do seu organismo e viver com saúde por muitos e muitos anos.

Fonte: Saudeconsciente.blogspot.com.br Livro O Factor Enzima – como viver mais e nunca ficar doente

A tradução de alguns capítulos do livro. “The enzyme factor. how to live long and never be sick?” – [O Factor Enzima – como viver mais e nunca ficar doente] de Hiromi Shinya, MD.

Editora Council Oak Books, 2009

Sobre o autor:

Hiromi Shinya é Chefe da unidade de cirurgia endoscópica do Beth Israel Medical Center e Professor de cirurgia clínica do Albert
Einstein College of Medicine, ambos em Nova Iorque e também consultor do Hospital Maeda e da Clínica Gastrointestinal Hanzomon no Japão.
O Dr. Shinya, actualmente com mais de 70 anos, continua activamente a trabalhar como médico, passando metade do ano em NY e a outra metade em Tóquio. É o médico japonês mais famoso e trata membros da família real Japonesa e oficiais de topo do governo japonês. Nos estados unidos trata celebridades e Presidentes. No seu trabalho, tratou mais de 300.000 pessoas estudando-lhes a história alimentar, curou cancros do cólon, e foi o inventor da colonoscopia (cirurgia do cólon por endoscopia).
(…)A Dieta do Factor Enzima e do Estilo de Vida apresentada neste livro, permitiu obter resultados clínicos de 0% de recorrência de casos de cancro. Repito: nenhum dos meus pacientes teve de voltar a enfrentar cancros. Porquê? Porque os meus pacientes tomaram muito a sério o seu estado de saúde, colocaram toda a sua fé em sustentar a cura do seu corpo, e praticaram diariamente a minha dieta de estilo de vida. É esta dieta de estilo de vida que vos vou ensinar neste livro; um conjunto simples de novos hábitos que vos possibilitarão gozar de uma saúde cheia de vitalidade até uma idade avançada.
Armado com o conhecimento destas páginas, fica inteiramente à sua escolha decidir entre a doença ou a saúde. No passado, pensava-se que a doença podia e devia ser curada apenas por médicos e medicamentos. Os pacientes eram passivos e simplesmente seguiam as instruções do médico e tomavam a medicação prescrita por ele. Porém, vivemos agora uma era onda cada um de nós tem que tomar sobre si a responsabilidade pela sua própria saúde.

Todos nós esperamos nunca ficar doentes – ou, se ficamos, temos um enorme desejo de melhorar rapidamente. Você pode pensar que isso é impossível, mas eu asseguro-lhe que não é. Neste livro eu proponho um modo de vida que lhe permitirá viver todo o tempo de vida que naturalmente ainda dispõe, sem nunca mais ficar doente.(…)

MITOS COMUNS SOBRE ALIMENTOS

(Pág. 10)
– Coma iogurte todos os dias par melhorar a digestão.
– Beba leite todos os dias para não ficar deficitário em cálcio.
– Ingira as vitaminas diárias através de suplementos alimentares em vez de comer fruta, uma vez que a fruta tem muitos carbohidratos e calorias.
– Abstenha-se de comer carbohidratos através do arroz e do pão para não engordar.
– Tente manter uma dieta rica em proteínas.
– Mantenha-se hidratado bebendo chá verde Japonês, porque é rico em antioxidantes.
– Ferva a água antes de beber para remover todos os resquícios de cloro.
(…)

O autor na sua clínica:

http://shinyamedicalgrp.com/en/shinya.html

O livro:

http://www.amazon.com/Enzyme-Factor-Hiromi-Shinya/dp/1571782095#reader_1571782095

O Dr. Hiromi Shinya, o Médico-inventor do Polipectomia Colonoscopic: O que ele aprendeu sobre a dieta e a saúde de mais de 300.000 Colonoscopias

“Não é exagero dizer que o desenvolvimento da técnica de colonoscopia e polipectomia Dr. Shinya fez famoso em todo o mundo.

Dos vários procedimentos endoscópicos que serão executadas em toda a sua carreira, o que você acha que é o mais importante?

[A resposta] Como sabemos agora, a remoção de pólipos no cólon evita que o cancro colorectal, e polipectomia por colonoscopia é o “mais importante” a realização, porque é a medicina preventiva no seu melhor.

Diga-me, se puder, que há algo mais importante na endoscopia digestiva alta? “
-Dr. -Dr. Michael Sivak, Jr., in  Polypectomy: looking back  60:977, 2004- Michael Sivak, Jr., em “Polipectomia: olhando para trás,” Endoscopia Gastrointestinal 60:977, 2004 –
Back in 1969,

Uma aula de história da medicina. Em 1969, um colega de gastroenterologia jovens japoneses em Hospital Beth Israel, em Nova York, o Dr. Hiromi Shinya, desenvolveu os equipamentos e técnica para endoscopia remover pólipos, evitando o que antes significava então uma grande cirurgia abdominal. Foi um avanço histórico na prevenção do câncer de cólon.
Dr. Shinya é agora de 75 anos, ele ainda é o chefe da Endoscopia Cirúrgica em Hospital Beth Israel, e ele ainda realizar colonoscopia, no Japão e os EUA.

Por que devemos nos preocupar?

Um ano atrás, um dos meus leitores de Nova York, mencionou que seu tempo longo gastroenterologista, Dr. Hiromi Shinya, tinha escrito um livro que foi muito popular (mais de 2 milhões de cópias vendidas) no Japão, chamado “O Fator enzima.

Ela achou interessante que o Dr. Shinya foi também defende uma dieta de baixa gordura quase vegan, semelhante ao que eu blog, eo que o Dr. B. Caldwell Esselstyn Jr. e Dr. T. Colin Campbell recomendo.

Três semanas atrás, eu finalmente consegui emprestado um exemplar da tradução de Inglês do fator enzima da minha biblioteca – mas eu só tinha ele por um curto período de tempo – há uma fila de espera de outros para emprestar.

Ele lê um pouco sem jeito, é repetitivo, ele não contém as referências científicas, não há estatísticas, não há gráficos ou tabelas.

É uma compilação de seus anos de observações clínicas, linguagem simples explicações de como a saúde do sistema digestivo afeta a doença, e como certos alimentos e hábitos podem prejudicar gravemente o sistema gastrointestinal.

Não se pode comparar com a bolsa de Estudo a China ou a Prevenir e reverter doenças cardíacas, com sua profundidade de detalhes. Mas isso não corroboram a sua mensagem – e isso aumenta a evidência de como laticínios, carne vermelha, gorduras e óleos podem causar danos ao sistema digestivo, e promover a doença.

“Ao longo de décadas na prática clínica, analisando centenas de milhares de pessoas como um endoscopista gastrointestinal, eu aprendi que quando o sistema gastrointestinal é uma pessoa limpa, peson corpo que é facilmente capazes de combater as doenças de qualquer tipo.”
Se a pessoa tem uma predisposição genética para a doença cardíaca, diabetes, câncer de cólon, câncer de próstata, a doença de Crohn, colite ulcerativa, doença renal ou — é a sua dieta e hábitos de vida que será a chave que liga a doença. E o interruptor para desligar a doença.
A experiência clínica de Shinya com a primeira fase de pacientes com câncer de cólon corrobora Campbell China Dr. experiência de estudo: “a mesma nutrição que previne a doença em seus estágios iniciais (antes do diagnóstico), também pode parar ou reverter a doença em seus estágios mais tarde (após o diagnóstico).” e ” Nutrição que é verdadeiramente benéfica para uma doença crônica vai apoiar a saúde através da placa. “
Dois anos depois Shinya começou a examinar o estômago e os intestinos com um alcance que ele começou a perguntar a seus pacientes sobre a sua história alimentar.
Suas diferenças enormes nos intestinos viu – as saudáveis foram limpas, macias, cor de rosa, com muco transparente, invisível, vasos sanguíneos, e dobras uniformes.
Os insalubres estavam inchados, manchados, com guarnições de estômago finos, enrugados, mucosa das pregas desigual, como cavidades de bolso que muitas vezes eram ulceradas, sem caroço, cheio de muco, bem como fezes estagnada.
Shinya estava determinado a descobrir se havia alguma ligação entre dieta e saúde intestinal.
As enzimas são os catalisadores de proteína que são feitas dentro das células de todos os seres vivos – e eles são necessários para manter a vida – acho que o transporte de nutrientes, digestão, excreção, síntese, desintoxicação, decomposição e fornecimento de energia.
Há mais de 5000 tipos de enzimas vitais, cada uma com funções específicas – como a amilase enzima digestiva que é encontrado na saliva e reage aos carboidratos.
Alguns alimentos como laticínios, carne e álcool exigem um do que o normal quantidade maior de uma enzima específica para quebrá-los – a criação de uma falta de enzimas necessárias necessárias para a digestão e absorção:. A solução Evite os tipos de alimentos que enzimas destroem. Shinya admite claramente que esta é uma teoria, mas que ele pessoalmente praticado por mais de quarenta anos – e que tem funcionado bem para seus pacientes.
Após Vendo 300.000 Intestinos e estômagos, Dr. Hiromi Shinya tem algo a dizer sobre gastrointestinais Saúde

“Lembre-se que mais de 300.000 observações clínicas têm-me dito: uma pessoa com função gastrointestinal pobres nunca é saudável doença. Gastrointestinal uma pessoa quando é o sistema não limpa, essa pessoa será propensa a sofrer de algum tipo de.

Em suma, se uma pessoa é saudável ou não, depende de que a pessoa come e como essa pessoa vive dia a dia. Dr. Hiromi Shinya O que determina a pessoa do estado de saúde é o o acúmulo de coisas como comida, água, exercício, sono, trabalho e stress. “Dr. Hiromi Shinya

Logo no início Shinya teve seus pacientes preencheram um questionário, detalhando os alimentos que comemos – e seus hábitos de vida – coisas como, consumo de álcool, tabagismo, hábitos de sono, consumo de água, uso de laxativos e hábitos intestinais.

Baseado em sua questionários e as condições dos intestinos ele escopo, aqui está o que ele concluiu:

Lista de Shinya dos Dez alimentos para evitar – todos são associados com doença GI e insalubre Trato GI

1. Excesso de proteína animal – especialmente a carne vermelha
2. Produtos lácteos, como leite de vaca, queijo, iogurte, outros produtos lácteos
3. O chá verde japonês, chá chinês, chá Inglês (limite de 1-2 xícaras por dia)
4. Coffee Café
5. Doces e açúcar
6. Nicotina
7. Chocolate
8. Gorduras e óleos
9. Sal de mesa normal (sal do uso do mar com minerais)
10. Álcool

Dicas de Shinya para uma boa saúde

1. Comer uma dieta que é de 85-90% com base em alimentos de origem vegetal
30% de vegetais verdes e amarelas e vegetais de raiz, incluindo as batatas, cenoura, inhame, beterraba e legumes do mar.
O leite de soja, leite de arroz, leite de amêndoa

2. 10-15% de animais com base em proteínas (não mais de 3-4 porções por dia:
Os peixes de qualquer tipo, mas de preferência pequenos peixes como os grandes peixes contêm mercúrio
Aves: frango, peru, pato – apenas pequenas quantidades
Carne de boi, carneiro, porco, vitela – deve ser limitada ou evitada
Ovos

3. Adicionar à sua dieta:
Chás de ervas
Comprimidos de algas
Levedura de cerveja (boa fonte de vitaminas do complexo B e sais minerais)
O óleo de peixes – particularmente DHA

4. Água Boa
Beber “água boa”, tais como água mineral ou água dura, que tem cálcio e magnésio, e mantém o corpo em um pH alcalino ideal
Adultos devem beber pelo menos 6-10 copos de água por dia
Beber 1-3 copos de água depois de acordar pela manhã
Beber 2-3 copos de água cerca de uma hora antes de cada refeição

5. Eliminação Regular
Iniciar um hábito diário para remover os poluentes do intestino e para limpar o seu sistema regularmente
Não tome laxantes
Comer alimentos ricos da fibra – não obter a sua fibra de cápsulas ou suplementos

6. Diminuir a dependência de remédios, modificando sua dieta e fazer exercícios sempre que possível
Farmacêuticos podem tributar o fígado e os rins
Muitas condições crônicas, como artrite, gota, diabetes e osteoporose pode ser controlada com dieta e exercício.

7. Minerais são importantes para a saúde
O magnésio ativa centenas de diferentes enzimas – e é necessário para uma boa saúde.
Um balanço de sódio e potássio é um pré-requisito para a vida.  Laxantes, diarréia, excesso de exercício pode esgotar sódio.  Uma dieta rica em vegetais aumenta potássio.
Demasiado cálcio após a meia-idade pode ser prejudicial
Pequenas doses de minerais trabalham sinergicamente com as vitaminas, minerais e enzimas: boro, cobre, zinco, ferro, selênio, cromo, manganês, molibdênio, e iodo.

8. Exercício moderado
O exercício apropriado para sua idade e condição física é necessário para uma boa saúde, mas o exercício excessivo pode liberar radicais livres e prejudicar o seu corpo  Algumas boas formas de exercício estão caminhando (2,5 milhas), natação, ténis, ciclismo, golfe, Fortalecimento muscular, yoga, artes marciais e aeróbica

9. Adequada Rest Shinya é uma napper diária
Vá para a cama ao mesmo tempo, todas as noites e ficar seis a oito horas de sono ininterrupto
Não coma ou beba 4 a 5 horas antes de deitar.  Se estiver com fome ou com sede, um pequeno pedaço de fruta pode ser consumida uma hora antes de se aposentar, já que vai digerir rapidamente.
Tire uma soneca de 30 minutos depois do almoço.

10. Respiração e meditação
Pratique o pensamento positivo
Faça a respiração abdominal profunda 4 ou 5 vezes por hora.  A expiração deve ser o dobro do tempo a inalar.  Isso é muito importante como respirar fundo ajudam a livrar o corpo das toxinas e radicais livres.
Use roupas folgadas que não restringe a sua respiração.
Ouça seu próprio corpo e ser bom para si mesmo

11. Alegria e Amor
A alegria eo amor irá impulsionar a enzima factor seu corpo, por vezes, de maneira milagrosa
Reserve um tempo diário para uma atitude de apreciação
Rir
Cante
Dance Dança
Viver apaixonadamente e engajar a sua vida, seu trabalho, e aqueles que você ama com o coração cheio

Alguns  Mito

Partes Shinya informações muito em seu livro magro. Longe demais para compartilhar  Mas, aqui estão algumas das pepitas que chamou minha atenção.
de O Médico Doente Bebês
Dr. Shinya’s. A esposa do Dr. Shinya tinha amamentar dificuldade, de modo que ambos os seus filhos foram colocados na fórmula de leite de vaca.
Sua filha chorou muito, e em seis meses, ela desenvolveu uma erupção pruriginosa infeliz por todo o corpo. Aos três anos, seu filho desenvolveu diarréia crônica e, finalmente, sangramento retal.  Em torno deste tempo Shinya adquiriu seu primeiro colonoscópio primitiva, por isso ele foi capaz de examinar seu filho, e descobriu que tinha um cólon, inflamação ulcerativa.
Precisando de saber a causa da erupção cutânea crônica de sua filha, ea colite de seu filho, Shinya começou a investigar. Ambas as condições não eram comuns no Japão, porque na época não havia alimentos lácteos pouco utilizado no Japão – mas a sua jovem família viviam na Shinya EUA suspeita de uma conexão com o leite de vaca.  Quando ele tirou o leite da pele de sua filha esclarecido.  Ele percebeu que sua filha, porque era incapaz de digerir o leite “, as partículas não digeridas que eram pequenas o suficiente para passar de seu intestino para o sangue dela foi atacada por seu sistema imunológico, como se fossem invasores estrangeiros. O mesmo acabou por ser verdade com seu filho. ” Quando pararam o leite, a colite desapareceu – como fez a dermatite atópica de sua filha.
Como o consumo de leite no Japão tem aumentado desde a década de 1960, assim como os casos de dermatite atópica.
De acordo com Shinya, laticínios podem danificar o meio ambiente intestinal, aumentando a quantidade de bactérias nocivas, e destruindo o equilíbrio da flora intestinal benéfica, abrindo a porta para a doença.

O Mito de Iogurte
Embora o iogurte é creditado com a melhoria da flora intestinal, como os lactobacilos, e beneficiando a digestão e alivia a constipação, Shinya acredita o contrário.
Ele diz, lactobacilos está naturalmente presente em uma lactobacilos saudáveis intestino humano, e qualquer que viesse a ingerir de fora do corpo em forma de iogurte seria simplesmente destruído pelo ácido do estômago.  Embora o iogurte pode parecer para “curar” prisão de ventre, o que as pessoas estão realmente ocorrendo é um caso leve de diarréia, pois a maioria dos adultos o suficiente falta da enzima lactase completamente quebrar a lactose (e iogurte contém uma grande quantidade de lactose).  O iogurte não é realmente “curar” a constipação em tudo.

De acordo com Shinya, “a condição de seu intestino vai piorar se você comer iogurte todos os dias. Posso dizer isso com confiança, baseado em minhas observações clínicas.”

O Mito do chá verde
Todos nós já ouvimos sobre os benefícios antioxidantes do chá verde.  Há todos os tipos de benefícios atribuídos ao chá verde. Shinya  discorda.
Sim, ele tem antioxidantes, mas em sua experiência clínica, as pessoas que bebem muito chá verde também tem problemas de estômago:. Aqui está o porquê, embora ele contém polifenóis que podem neutralizar os danos dos radicais livres, que também produz tanino.  Quando tanino é exposto à água ou ar quente, ele se transforma em ácido tânico, que coagula as proteínas, e pode ter um efeito negativo sobre a mucosa gástrica.
“O fato é que, quando eu uso um endoscópio para examinar o estômago das pessoas que regularmente beber chá (chá verde, chá chinês, chá preto ou café Inglês que contém uma grande quantidade de ácido tânico) Eu costumo encontrar a sua mucosa gástrica foi diluído devido a alterações atróficas. É um fato bem conhecido que as doenças crônicas ou alterações atróficas de gastrite crônica pode tornar-se câncer de estômago. “

Fonte: Happyhealthylonglife.com

3

Sobre o Autor:

Comentários

  1. Estudante  fevereiro 7, 2015

    Demais! Obrigado por tornar disponível tanto conhecimento rico como este.

    responder
  2. julio rodrigues  agosto 10, 2015

    gostei imenso dos comentarios lidos mas, gostaria de alguns, para corrigir a gordura abdominal.
    mtº. obrigado
    júlio

    responder
  3. Natália  setembro 29, 2015

    Boa tarde,
    Tenho 29 anos e sofro uma séria prisão de ventre. Não sei o que fazer, tenho curiosidade de fazer algum exame para verificar como está meu intestino. Passo de semanas sem ir ao banheiro e quando vou não fico satisfeita. Como frutas todos os dias, estou evitando tomar leite. O que faço?

    responder

Enviar um comentário